Moscovo ameaça confiscar bens se UE atribuir fundos russos à Ucrânia

“Tal decisão exigirá uma resposta simétrica da Rússia. Nesse caso, serão confiscados muitos mais activos pertencentes a países hostis do que os nossos recursos congelados em território europeu”, afirmou Volodin na sua conta do Telegram.

Volodin acusou os representantes europeus, como a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, de tentarem manter, a todo o custo, os seus cargos com tais medidas.

“A partir da má situação financeira a que conduziram os seus países, começaram novamente a falar em roubar os recursos congelados do nosso país para continuar, à sua custa, a militarização de Kiev”, afirmou.

Ursula von der Leyen revelou na sexta-feira que apresentará “uma proposta para encontrar uma forma de utilizar a receita destes activos que beneficiam atualmente um número limitado de instituições financeiras na União Europeia”.

“Estes lucros inesperados já são bastante substanciais. A ideia é juntá-los e canalizá-los através do orçamento da União Europeia ’em bloco’ para a Ucrânia e para a reconstrução do país”, explicou Von der Leyen.

E acrescentou: “o valor destes activos soberanos ascende a 211 mil milhões de euros. Politicamente, acordamos que, em última análise, a Rússia deve pagar pela reconstrução a longo prazo da Ucrânia”.

As autoridades russas já classificaram “de roubo” a decisão dos Estados Unidos da América de atribuir 5,4 milhões de dólares de activos congelados a oligarcas russos para apoiar os veteranos ucranianos.

A União Europeia congelou cerca de 19 mil milhões de euros a oligarcas russos nos primeiros meses da operação militar que a Rússia iniciou na Ucrânia em Fevereiro de 2022.

Além disso, o ocidente bloqueou um total de 300 mil milhões de dólares em reservas de ouro e divisas do Banco Central da Rússia.


Posted

in

,

by

Tags:

Comments

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *