​Djarfogo International Film Festival terá sete filmes cabo-verdianos

A programação do festival foi apresentada pelo cineasta
e membro fundador do DIFF, Guenny Pires, numa conferência de imprensa realizada
esta sexta-feira, na Cidade da Praia.

Guenny Pires explicou que o festival trará a Cabo
Verde renomados profissionais do audiovisual internacional e do qual consta um diversificado leque de actividades divididos pela ilha de Santiago e ilha do
Fogo.

Para esta edição destacou que vão participar três filmes pré-candidatos ao Óscar 2024. “Queremos que Cabo Verde tire o máximo proveito deste
evento, sobretudo os cineastas locais para aproveitar a oportunidade de olhar 125
filmes de 82 países, onde Cabo Verde está incluído”.

“Durante o festival, vai acontecer na Cidade da Praia,
uma homenagem a Sarah Maldoror, que foi uma das primeiras mulheres negras que fez
filme de ficção e o seu filme estará no evento, também a sua filha estará
presente na cerimónia de homenagem”, revela.

Guenny Pires contou que haverá actividades na ilha do
Fogo, “mas queremos destacar a Cidade da Praia como lugar de evento, Capital de
País, onde acontece várias atividades de renome acontecem”.

“Para nós, é um grande orgulho abrir este festival na
Universidade de Cabo Verde, na presença do Presidente da República, José Maria
Neves, juntamente com embaixadores, convidados e cineastas. Vamos contar com a
presença do presidente de júri de festival”, cita.

Para o fundador do DIFF, este festival apesar de três
anos de existência está a ganhar dimensão internacional, poder e tudo isso, é
benefício para Cabo Verde e cinema de Cabo Verde. “Além disso, queremos
destacar que este ano temos novos prémios como de Amílcar Cabral e Sarah
Maldoror que já foram lançados e é mais direcionado às mulheres cineastas”.

“Dos 125 filmes que serão exibidos, depois um júri internacional
vai seleccionar 25 que vão candidatar ao prémio. Além disso, alguns cineastas
nacionais e projectos nacionais e internacionais vão receber menções honrosas”,
indica.

Na ilha do Fogo, vão fazer a entrega de prémios a
algumas personalidades locais como Pedro Cardoso, Teixeira de Sousa, e outros. “Estes
prémios são uma forma de valorizar aquilo que temos e dá-los um certo estatuto
que merecem dentro da sociedade”.

“No Fogo, a abertura será em Chã das Caldeiras, depois
vamos passar pela cidade de São Filipe, onde vamos exibir a maior parte de
filmes. Este ano vamos exibir filmes em todos os concelhos da ilha do Fogo”,
relata.

Ainda na ilha do Fogo, disse que vão ter um dia
especial dedicado a Mosteiros como lugar do café e de talaia baxo. “Este
festival criou um prémio que é curta talaia baxo, onde os jovens dos Mosteiros
serão distinguidos e os seus projectos vão receber mentoria de Djarfogo e de uma
organização da Polónia”.

Na Cidade da Praia, a abertura será na Universidade de
Cabo Verde, além da abertura vamos ter uma sessão de masterclass com cineastas
convidados e estudantes. Este festival é
realizado pela Txan Film Production & Visual.


Posted

in

,

by

Tags:

Comments

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *